Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Internet das Coisas: Conceitos Iniciais



Internet das Coisas (Internet of Things – IoT)

Nome dado à proposta de conectar dispositivos diversos em uma rede de computadores que permita que troquem dados. A ideia principal é a conexão de dispositivos computacionais já existentes, assim como a integração de dispositivos que não são nativamente computacionais (e.g. roupas, veículos, eletrodomésticos, etc.) através da utilização de tecnologias embarcadas.

O conceito de IoT é um desenvolvimento facilitado por modernas tecnologias como o surgimento de dispositivos móveis, a expansão da Internet e da World Wide Web, a proposta de protocolos como IPv6, entre outras.


Qual o objetivo da IoT ?

A maioria das pessoas conhece a Internet e a World Wide Web através do conjunto de websites que podem ser acessados por um navegador Web. A proposta da IoT, no entanto, é permitir que, através da conexão entre diferentes dispositivos do dia-a-dia apropriados para este fim, estes possam não apenas automatizar suas atividades, mas também tornar mais inteligente o seu uso ao integrarem-se a outros dispositivos.

Por exemplo, vamos considerar uma geladeira comum. Seu gasto energético, em geral, não pode ser regulado pelo usuário. Da mesma forma, se faltar algum alimento ou passar da data de validade, é necessário que uma pessoa detecte isto e compre um alimento (no caso de faltar) ou jogue fora (aquele que está vencido).

Agora imagine uma geladeira que possua sensores e esteja conectada na Internet. Você poderia verificar quanto ela gasta de energia e gerenciar este gasto de acordo com a conveniência. Se você for viajar por um mês, você poderia acessar a geladeira através de um aplicativo apropriado e regulá-la de acordo com a necessidade. Se esta geladeira possuir sensores apropriados, ela mesmo poderia regular o seu gasto energético. E com outros sensores apropriados poderia verificar se há alimentos vencidos e emitir um aviso ao usuário. Ou verificar a falta de um alimento e se conectar diretamente à um e-commerce e solicitar o alimento. 

O principal objetivo da IoT é tornar mais inteligente e autônomo o uso dos diversos dispositivos e atividades realizadas no dia-a-dia. IoT é proposta para integrar dispositivos nas áreas de:

  • Automação residencial;
  • Transportes;
  • Saúde;
  • Comércio;
  • Educação;
  • Segurança;
  • Outros.

IoT não é ainda um conceito bem-padronizado, de forma que muitas tecnologias, padrões e abordagens ainda estão em processo de desenvolvimento.


Web das Coisas (Web of Things – WoS)

Nome dado às abordagens, arquiteturas e padrões de programação que possuem como objetivo prover uma camada de aplicação para desenvolvimento de aplicações para a Internet das Coisas. 


Passos para desenvolvimento de um projeto de IoT

Um projeto de IoT tem como objetivo automatizar um conjunto de atividades através de dispositivos que possam ser integrados a uma rede de comunicação (Internet). Os principais passos a serem considerados são:

  1. Qual atividade deverá ser realizada ? O primeiro passo para desenvolver um projeto de IoT é definir qual atividade deverá ser realizada. As principais atividades incluem:
    • Gerenciamento e visualização de dados: i.e., acompanhar um determinado comportamento de um elemento de interesse (por exemplo, determinar quantos carros passam em uma avenida).
    • Gerenciamento de operação: i.e., gerenciar o comportamento de um determinado elemento de interesse, realizando ações apropriadas (por exemplo, controlar os semáforos de uma avenida)
  2. Determinar quais os dispositivos necessários para operação: no exemplo de Gerenciamento e visualização de dados utilizou-se  determinar quantos carros passam em uma avenida. Para este tipo de atividade, poderemos considerar diversos tipos de dispositivos: câmeras, sensores na via, etc. Dentro da necessidade demandada, deverão ser selecionados os dispositivos mais convenientes.
  3. Automatizar os dispositivos necessários para operação:  o próximo passo é verificar os dispositivos selecionados e utilizar/desenvolver tecnologias que permitam a automação da atividade em questão. Em geral, diversos dispositivos nativamente computacionais já estão disponíveis no mercado e prontos para uso (e.g. computadores, smartphones, smartwatches, eletrodomésticos, etc.), porém outros tipos de dispositivos  podem demandar a integração de tecnologias que tornem o dispositivo computacional (por exemplo, uma porta não possui tecnologia própria, mas pode ser controlada através do uso de outras tecnologias). Em geral, o processo de integração envolve a combinação de um elemento de interesse com sensores, atuadores, dispositivos de processamento e uma rede de telecomunicações.  No caso do exemplo  determinar quantos carros passam em uma avenida, poderemos utilizar um software de reconhecimento de objetos para determinar e contabilizar a quantidade de veículos em uma avenida. Neste passo, deve-se determinar quanto do processamento computacional será realizado localmente e quanto do processamento computacional será realizado remotamente. 
  4. Conectar e armazenar os dados obtidos: o próximo passo inclui interligar os dispositivos utilizados, armazenar os dados obtidos e prover estes dados para outras tecnologias/atividades convenientes.  No caso do exemplo  determinar quantos carros passam em uma avenida, poderemos conectar um conjunto de câmeras à uma central de controle que permita gerar relatórios sobre os carros, armazenar os dados para uso futuro e também fornecer dados para outras atividades como, por exemplo, controlar os semáforos de uma avenida de forma automática. 


Para citar este artigo

REVISTABW. Internet das Coisas: Conceitos Iniciais.Revista Brasileira de Web: Tecnologia. Disponível em https://www.revistabw.com.br/revistabw/iot-conceitos-iniciais/. Criado em: 28/12/2017. Última atualização: 29/12/2017. Visitado em: 21/01/2018


Procurando mais conteúdos ? Utilize o campo de busca abaixo



Leia +



Você também deveria ler


O conteúdo da Revista Brasileira de Web é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil, exceto quando especificado claramente em contrário. Este é um site de conteúdos diversos e dicas gerais e não substitui a consultoria de um profissional devidamente qualificado. Isto significa que os assuntos aqui abordados possuem caráter geral e podem não ser adequados no seu caso. Leia nossos Termos de Uso e Privacidade.